Publicidades

13/01/2014 | 22:53 | Esporte

Inter sai na frente, mas permite virada e Pelotas é campeão da Recopa Gaúcha

Equipe de Clemer sai com vantagem de dois gols, mas Pelotas consegue virar e vence por 3 a 2

Foto: Itálo Santos / especial


Para as pretensões de um clube que visa e declarada abertamente que uma conquista nacional é o grande objetivo da temporada, a boa notícia para o Inter após a derrota por 3 a 2 diante do Pelotas, na Boca do Lobo, está na individualidade do lateral-direito Claudio Winck.


O time do técnico Clemer não conseguiu se beneficiar com o homem a mais em campo e os gols de Winck, perdendo a Recopa Gaúcha. Desde os 12 minutos, Lucas, que havia recebido um amarelo por falta dura no início da partida, levou o vermelho de Jean Pierre Gonçalves Lima por simular um pênalti. Após o susto por perder um jogador aliado ao gol de Claudio Winck, aos 16 minutos, os comandados de Paulo Porto voltaram para o jogo. Na cobrança do escanteio de Gladestony, pela esquerda, Bertotto cabeceou, Nathan desviou para defesa de Paulo Sérgio. Claudio Winck, mais rápido que os zagueiros, empurrou e abriu o placar.


O sobrinho do ex-lateral colorado Luis Carlos Winck ganhou confiança, passou a atacar mais, tabelar e chegar bem à linha de fundo. Seus cruzamentos ainda necessitam de um aprimoramento. Da mesma forma, precisa recompor com mais velocidade para cobrir o espaço deixado às suas costas por conta das subidas à frente. Claudio pode seguir com os trabalhos de cobranças de falta, como a que deu origem ao segundo gol do Inter. Raphinha tocou de leve na bola e o guri de 19 anos acertou o ângulo. Além da comemoração empolgada com os companheiros à beira do gramado, Winck mandou um recado a Abel Braga.


— É bom (os gols). A oportunidade apareceu. Espero que todo mundo esteja vendo — disse Winck, no intervalo.


Parecia o time principal ao final de 2013. Quando tudo parecia a favor, placar de 2 a 0, mais atletas em campo, melhor atuação diante do adversário, o Inter começou a sucumbir. Felipe Garcia diminuiu ainda no primeiro tempo, aos 45. César Santiago empatou, aos 24, e Felipe Garcia, mais uma vez, virou o placar com 29 minutos da etapa final. Os guris sentiram e não tiveram força para empatar e levar para os pênaltis. E a partida que deveria ser um teste para a estreia do Gauchão, sábado, contra o São Luiz, acaba como uma experiência malsucedida.

Fonte: Zero Hora

Mais notícias desta categoria

Publicidades


Mario Junior designer