Publicidades

14/05/2020 | 10:45 | Saúde

Em Venâncio Aires, casal vítima de coronavírus morreu com diferença de três dias

João Dutra e Maria Cristina Appel foram hospitalizados e estão entre os quatro óbitos registrados até agora no município

João Dutra e Maria Cristina Appel estavam juntos há 21 anos e criaram três filhos, em Venâncio Aires - Maria Cristina Appel / Arquivo Pessoal


Venâncio Aires, conhecida como Capital do Chimarrão, registrou quatro mortes em decorrência do coronavírus – e duas delas foram de um casal, Maria Cristina Appel, 54 anos, e João Dutra, 58 anos. É um raro caso de cônjuges mortos pela pandemia.


Maria Cristina Appel era cuidadora de idosos, ex-técnica de enfermagem e muito conhecida em Venâncio Aires pela liderança comunitária. Já Dutra trabalhava no município vizinho, Lajeado, num frigorífico. Os dois estavam casados havia 21 anos e tiveram uma filha, hoje com 15 anos. Maria Cristina também tinha um casal de filhos do primeiro casamento.


— Ela era uma mãezona, super atenciosa com os velhinhos, antenada nos problemas da comunidade e vivia para nossa família. Aliás, depois que nasceu meu filho, o Davi, há quatro anos, ela passava o tempo todo com ele — recorda Ayla, filha primogênita de Maria Cristina.


Ela diz que o padrasto também era maravilhoso e a criou com todo o amor.


Em janeiro ainda, Maria Cristina fez apelo na prefeitura e deu entrevista ao jornal local, reclamando da falta de medicamentos que deveriam ser fornecidos pela farmácia municipal.


A doença chegou à família em abril. O primeiro a ter sintomas foi Dutra. Rastreamento das autoridades sanitárias concluiu que ele contraiu o coronavírus no frigorífico, que já registrou mais de uma dezena de contaminados. Ele foi internado em 16 de abril no Hospital São Sebastião Mártir, em Venâncio Aires, com falta de ar e dores no corpo. Foi direto para a Unidade de Tratamento Intensivo (UTI).


Maria Cristina via João Dutra através de um vidro. Em poucos dias, ela também manifestou falta de ar, que evoluiu para pneumonia. De início, ficou resguardada em casa. Como tinha problemas cardíacos, foi depois levada para a UTI do mesmo hospital onde estava o marido.


— A mãe teve câncer no colo do útero e a quimioterapia deixou ela com sequelas no coração, perdeu capacidade. Vivia meio cansada. Além disso, o tratamento baixou as defesas do organismo — descreve Ayla.


João Dutra morreu em 26 de abril, no hospital. Maria Cristina morreu dia 29, na mesma UTI. Os dois foram sepultados no Cemitério da Ponte Queimada, no interior de Venâncio Aires. Os três filhos de Maria Cristina tiveram diagnóstico de coronavírus, mas já se recuperaram.


Maria Cristina deixou os filhos Ayla (25 anos), Vítor (23) e Fernanda (15, do casamento com João Dutra). Ela também teve o neto Davi, quatro anos.

Fonte: Gaúcha ZH

Mais notícias desta categoria

Publicidades


Mario Junior designer