Publicidades

08/03/2020 | 21:16 | Esporte

Com dois gols de Patrick, Inter vence o Brasil-Pel pelo Gauchão

Resultado colocou o time de Coudet na liderança do Grupo A no segundo turno

Patrick fez os dois gols colorados no Beira-Rio - Lauro Alves / Agencia RBS


A quatro dias do Gre-Nal da América, Eduardo Coudet mandou um time reserva para encarar o Gauchão. E os habituais suplentes colorados deram conta do recado: com dois gols de Patrick, o Inter venceu o Brasil-Pel por 2 a 0, assumiu a liderança de seu grupo e, provavelmente, viu o surgimento de um novo titular, o lateral-direito Renzo Saravia.


Até porque, da turma que costuma começar os jogos, apenas Bruno Fuchs encarou os xavantes. Isso porque talvez nem D'Alessandro possa ser considerado incontestável neste março. Alguns atletas que ainda não haviam recebido tantas oportunidades, como Danilo Fernandes e Guilherme Pato, foram observados. E Saravia, recém contratado, deixou uma impressão positiva no Beira-Rio.


O começo do Inter foi em ritmo intenso. Aos quatro minutos, Moledo não percebeu que estava solto na área e precipitou-se ao tentar concluir de pé esquerdo em vez de carregar a bola e buscar a melhor condição. Aos sete, D'Alessandro iniciou tabela pelo meio. Nonato entregou para Patrick, que deu de primeira para Gustavo. O centroavante devolveu para Patrick, que serviu Nonato. Na saída do goleiro, o jovem meia colorado bateu de pé esquerdo, mas Matheus Nogueira espalmou para fora.


Saravia dava mais dinâmica à lateral direita e, aproveitando sua velocidade, o Inter insistia nas jogadas ofensivas por seu setor. Dois cruzamentos por pouco não encontraram a cabeça de Gustavo. No segundo, Natanael pegou o rebote e ergueu para o centroavante, que cabeceou em cima do zagueiro Heverton. Aos 20, a repetição: Natanael cruzou e Gustavo cabeceou, sozinho, mas por cima do travessão.


Com menos intensidade, o Inter seguiu tentando abrir o placar. Patrick teve sua chance ao partir para cima da zaga adversária, desequilibrar-se e chutar, mas em cima do goleiro. Matheus Nogueira fez outra grande defesa após uma tabela na área. D'Alessandro deu a Guilherme Pato, que cruzou rasteiro. Gustavo concluiu de pé esquerdo, no peito do goleiro e, no rebote, o centroavante, já caído, não conseguiu empurrar para a rede.


A pressão do Inter, de 65% de posse de bola, 13 finalizações contra zero do Brasil-Pel e 24 cruzamentos contra nenhum do oponente de Pelotas não deu resultado no primeiro tempo. Toda a construção da etapa inicial não se transformou em gol.


Os times voltaram inalterados do intervalo. Mas os xavantes se arriscaram um pouco mais nos minutos iniciais. Gegê deu o primeiro chute dos visitantes aos quatro minutos, aparando, meio desequilibrado um cruzamento do lado esquerdo. 


Aos oito, Coudet promoveu uma dupla substituição: Nonato e Guilherme Pato deram lugar a Thiago Galhardo e Marcos Guilherme. Com isso, D'Alessandro foi para a função de meia.


Na primeira participação, Galhardo quase fez. Natanael fez um lançamento na paralela, de 40 metros, e o atacante, que recém havia entrado, ganhou de Matheus Nogueira na velocidade, mas perdeu um pouco do ângulo. Por isso, concluiu para fora, mesmo sem goleiro. No lance, o camisa 1 xavante se machucou e precisou deixar o campo. Chorando, saiu aplaudido até pelos colorados. Rafael Martins o substituiu.


O novo goleiro não deu sorte. Depois de tanta pressão, tanta criação, o gol saiu. Saravia fez um cruzamento na medida pela direita, Patrick saltou e cabeceou sem alcance para Rafael Martins: Inter 1 a 0.


Aos 21, nova chance clara para o time de Coudet. Cruzamento de Thiago Galhardo da esquerda, Gustavo desviou do goleiro, mas a bola acertou a trave e não entrou. Dois minutos mais tarde, não teve quem salvasse o Brasil. Marcos Guilherme cobrou escanteio no segundo pau, Patrick de novo subiu mais do que a zaga e ampliou para 2 a 0.


Saravia começou a jogada que só não foi um terceiro gol por detalhe. Ele roubou a bola na defesa e arrancou para o ataque. Recebeu lançamento de D'Alessandro e cruzou. Gustavo dominou, ajeitou e tentou tirar do goleiro. Bola raspando a trave.


Patrick saiu ovacionado, para dar lugar a Praxedes. E o Inter tratou de administrar os minutos finais. Agora, enfim, pode pensar no Gre-Nal.

Fonte: Gaúcha ZH

Mais notícias desta categoria

Publicidades


Mario Junior designer