Publicidades

27/01/2020 | 17:59 | Polícia

Polícia Civil encontra Ecosport de homem apontado como autor do assassinato de família após discussão no trânsito

Crime aconteceu na zona sul de Porto Alegre, na tarde de domingo

Carro estava em um galpão no Lami, mesmo bairro onde aconteceu o crime - Divulgação / Polícia Civil


A Polícia Civil encontrou, na tarde desta segunda-feira (27), a Ecosport do homem apontado como autor dos tiros que mataram três pessoas de uma mesma família após discussão de trânsito na zona sul de Porto Alegre, no domingo (26). O veículo estava escondido em um galpão no Lami, mesmo bairro onde houve o crime, e será encaminhado para perícia. O nome do suspeito não foi confirmado pela polícia, mas GaúchaZH apurou que trata-se de Dionatha Bitencourt Vidaletti, 24 anos.


Conforme a Polícia Civil, o galpão na Estrada Armando Inácio da Silveira pertence à família de Dionatha. Informações apuradas pela investigação são de que o investigado esteve lá durante a madrugada para deixar a Ecosport batida. O carro apresenta danos na porta do motorista. 


Desde a manhã desta segunda-feira, agentes da 4ª Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa estão vasculhando cinco endereços na Capital e Região Metropolitana, onde o homem poderia estar escondido. Todos os locais — quatro residências e um comércio — estavam fechados. Em uma das casas, na Zona Sul, os policiais encontraram uma pistola 380 em nome da mãe do investigado. No comércio da família, também na zona sul da Capital, foi localizado um revólver calibre 38 sem registro.


Enquanto realiza as buscas, a Polícia Civil ainda espera contato de algum familiar ou advogado do investigado. Os celulares do homem e de familiares próximos estão desligados. Perfis nas redes sociais foram apagados.


O carro das vítimas — uma Aircross —foi periciado e foram coletados projéteis no local do crime para análise. Também foi refeito todo o trajeto entre o local da colisão e o ponto onde houve a discussão que terminou com os disparos.


Vidaletti não possuía porte de arma, mas usou uma pistola 9 milímetros no ataque. O calibre, até recente decreto, era de uso restrito das Forças Armadas.


Vítimas


Rafael Zanetti Silva, 45 anos, a esposa dele, Fabiana da Silveira Innocente Silva, 44, morreram na hora após serem baleados. O filho deles, Gabriel da Silveira Innocente Silva, 20 anos, também foi atingido, chegou a ser encaminhado ao hospital, mas não resistiu.


No veículo, ainda estavam o outro filho do casal, de oito anos, e a namorada do jovem assassinado, de 18 anos. Nenhum dos dois ficou ferido. A jovem prestou depoimento e afirmou que o atirador não tentou disparar contra ela e a criança. Segundo ela, a mãe do homem tentou impedir os outros tiros, mas não conseguiu. Em seguida, os dois entraram na caminhonete e fugiram.


— Me chamou a atenção os disparos. Todos na região do pescoço e da cabeça, o que mostra o fato de ele ter tido alguma aula de tiro e também de atirar com a intenção de matar mesmo — salientou o delegado responsável pela investigação, Rodrigo Pohlmann Garcia.

Fonte: Gaúcha ZH

Mais notícias desta categoria

Publicidades


Mario Junior designer