Publicidades

05/10/2019 | 23:14 | Esporte

Grêmio e Corinthians ficam no 0 a 0 em Porto Alegre mantêm posições na tabela

Tricolor pressiona, mas não consegue furar bloqueio do Timão em duelo de equipes que buscam subir na tabela, pela 23ª rodada do Brasileirão

Globo Esporte


O Grêmio se impôs, martelou com 19 finalizações e teve 64% de posse de bola. Mas não foi capaz de furar a solidez do Corinthians, dono da melhor defesa do Brasileirão. Neste sábado, as duas equipes ficaram no 0 a 0 na Arena do Grêmio, em um duelo de futebol bem jogado, digno do clássico pela 23ª rodada do Campeonato Brasileiro.


Na tabela


O ponto somado mantém o Grêmio na oitava colocação, com 35 pontos. o Corinthians segue no G-4, em quarto, com 42.


E agora?


O Grêmio recebe o Ceará no Estádio Centenário na próxima quarta-feira, às 21h, pela 24ª rodada do Brasileirão. A partida não será disputada na Arena devido ao show da banda Iron Maiden. Depois, na quinta-feira, às 19h15, o Corinthians tem pela frente o Athletico-PR na Arena Corinthians.


Primeiro tempo


O Corinthians até ensaiou um domínio do jogo e ameaçou em chutes com Mateus Vital nos primeiros minutos, mas o Grêmio não custou a fazer prevalecer o fator local. Dentro de casa, o Tricolor teve quase 70% de posse de bola no primeiro tempo e tentou envolver a defesa rival com toques rápidos, tabelas e mobilidade de seus atacantes.


A equipe montou um cerco ao redor da área do Timão e pressionou. Mas de efetivo, teve apenas uma chance, com Everton pela esquerda. Ele cruzou, Cássio espalmou, e rebote não alcançou o rebote. No lance mais polêmico, a bola acertou o braço de Sornoza dentro da área mas, após análise do VAR, a arbitragem mandou o jogo seguir.


Segundo tempo


A tônica da segunda etapa foi a quase a mesma dos 45 minutos iniciais. O Grêmio seguiu com supermacia na posse de bola e pressionou o Corinthians em busca da vitória com a dupla Everton e Luan como principais armas. Na melhor chance, Cebolinha aproveitou erro na saída de bola para roubar a bola e chutar com muito perigo.


Do outro lado, o Corinthians conseguiu ser mais incisivo e levou perigo em contra-ataques, especialmente após a entrada de Boselli na vaga de Clayson. O gringo assustou em cabeçada, e Fagner obrigou Paulo Victor a fazer boa defesa após chute cruzado. Renato Gáucho respondeu com as entradas de Pepê e Diego Tardelli e as saídas de Léo Moura e André. Sem sucesso.


Bola na mão


Os gremistas reclamaram de pênalti em um lance na primeira etapa. Aos 36, Everton tentou o passe vertical por elevação. A bola bateu no braço de Sornoza, que fazia o movimento para colocá-lo atrás do corpo. O árbitro mandou o jogo seguir. E acertou, na avaliação do analista de arbitragem do Grupo Globo Paulo César de Oliveira.


Estratégias diferentes, resultado igual


O placar se manteve inalterado, mas não por falta de tentativas das duas equipes. Foram 32 finalizações ao longo de 90 minutos. Muito em função da pressão gremista. Em casa, o Grêmio impôs seu estilo de aproximação, toques rápidos e mobilidade em seu ataque para tentar abrir a defesa corintiana e tentou o gol 19 vezes.


O Corinthians adotou estratégia pragmática: se compactou em frente à área para fechar espaços e parar o envolvente ataque gremista. O plano surtiu efeito e ainda permitiu que a equipe de Fábio Carille levasse perigo em contra-ataques, puxados com verticalidade e velocidade. Foram 13 finalizações, mesmo com menos de 40% de posse de bola.


Fim dos 100%


O Corinthians leva um ponto da Arena do Grêmio e se mantém no G-4 com folga para o quinto colocado. Mas a equipe de Fábio Carille perdeu os 100% de aproveitamento, com três vitórias anteriores no segundo turno. E ainda pode ver Flamengo e Palmeiras, líder e vice-líder, abrirem mais vantagem com o complemento da rodada. O Santos, terceiro, já venceu o seu jogo.

Fonte: Globo Esporte

Mais notícias desta categoria

Publicidades


Mario Junior designer