Publicidades

14/08/2019 | 07:43 | Praia Notícias | Polícia

Brasileira morta em Luxemburgo estava de passagem marcada para voltar a SC nesta terça, diz filha

Catarinense Dione Streckert, de 52 anos, foi agredida no sábado e morreu no domingo. Ex-companheiro português foi preso

Mulher foi morta em Luxemburgo ? NSC TV/Divulgação


A catarinense Dione Streckert, de 52 anos, que morreu no domingo (11) em Luxemburgo, estava de passagem marcada para voltar ao Brasil nesta terça-feira (13), conforme uma filha da vítima. O ex-companheiro dela, um homem português, foi preso suspeito do assassinato em um apartamento na região central de Esch-sur-Alzette.


Dione é natural de Xaxim, no Oeste catarinense, e foi encontrada por vizinhos, que acionaram polícia e atendimento médico no sábado (10). Ela não resistiu aos ferimentos e morreu no hospital na madrugada de domingo.


Segundo uma filha da vítima, Dione já estava separada e havia prestado queixa contra o ex-companheiro. Ela pretendia pegar o avião na terça e chegaria a Santa Catarina na quarta (14).


Uma irmã da Dione e uma outra filha, que também moram na Europa, estão em Luxemburgo para acompanhar os trâmites legais do caso. Uma filha de 9 anos dela, que morava com a mãe, chegou a ser encaminhada para um abrigo após a morte.


Outra parte da família mora em Treze Tílias, no Oeste catarinense. Até esta publicação, a motivação do crime não havia sido revelada.


Autoridades acompanham caso


Em nota, o Itamaraty informou que a Embaixada do Brasil em Bruxelas foi "instruída a contatar as autoridades luxemburguesas para acompanhar de perto o caso e a oferecer o atendimento consular cabível aos familiares da vítima".


Na cidade de Luxemburgo não há representação diplomática ou consular, segundo o Itamaraty.

Fonte: G1

Mais notícias desta categoria

Publicidades


Mario Junior designer