Publicidades

01/05/2019 | 18:15 | Esporte

Sarrafiore decide e Inter vence o Flamengo no Beira-Rio

Argentino entrou no segundo tempo e marcou o gol da vitória por 2 a 1 pelo Brasileirão

Sarrafiore marcou o gol que determinou a primeira vitória do Inter no Brasileirão - Félix Zucco / Agencia RBS


O Inter estreou no Campeonato Brasileiro em casa e com os titulares. E, num jogo eletrizante, venceu o clássico contra o Flamengo por 2 a 1, com todos os gols gringos: do peruano Guerrero e do argentino Sarrafiore, para o Inter, e do uruguaio Arrascaeta, para o Flamengo. No sábado (4), nova pedreira na vida dos colorados: o Palmeiras, em São Paulo. Na terça-feira, o Inter voltará à Libertadores, para a última partida da fase de grupos, diante do River Plate, em Núñez. 


Antes do jogo, saudações da torcida a Abel Braga, homenagens ao ex-zagueiro de Inter e de Flamengo Juan, ao tricampeão invicto Valdomiro, que recebeu a camisa vintage a ser utilizada no clássico, e ao ex-lateral-esquerdo Rodrigues Neto, que atuou em ambos os clubes, e que morreu nesta terça-feira. 


Com a bola rolando, um Inter titular e com uma atitude bem diferente daquela da estreia em Chapecó, marcou 1 a 0 logo aos quatro minutos. Patrick sofreu falta na ponta esquerda. D'Alessandro cobrou rapidamente para Patrick, que devolveu para o 10, que cruzou na área, onde Guerrero, tomado pelo espírito que rege a universal "Lei do Ex" no futebol, cabeceou para chão, vencendo o goleiro César. Em respeito ao antigo clube, o camisa 9 pouco vibrou com o gol.


Entre uma treta de Bruno Henrique com Moledo e outra do mesmo Bruno com Dourado, o jogo esquentou. O Flamengo tentou reagir, enquanto que o Inter se manteve trocando passes até chegar à área adversária, como aos 14 minutos, quando Nico entrou às costas da zaga e perdeu o gol. 


Aos 21 minutos, Rodrigo Dourado foi salvo pelo VAR. O capitão do Inter deu uma canelada na bola e Cuéllar só não parou dentro do gol porque Dourado o derrubou a um passo da grande área. Na cobrança de falta, Rhodolfo marcou, no rebote da barreira. O gol, porém, foi anulado pelo VAR porque a bola bateu no braço do ex-zagueiro do Grêmio. 


Nos minutos finais, o Flamengo tomou conta do campo colorado que, recuado e errando passes, tinha grande dificuldade para sair para o jogo. Os colorados conseguiam algum desafogo em arrancadas de Nico López e de Patrick.


Logo aos dois minutos do segundo tempo, mais um gol do Flamengo. E, outra vez, anulado, desta vez de Gabigol, de cabeça, mas que estava impedido ao marcar. Os cariocas passaram a controlar as ações, diante do costumeiro recuo do Inter. Aos 14 minutos, de tanto recuar, o Inter foi punido. O Flamengo mandava no jogo e marcou o seu terceiro gol na partida, o primeiro válido. Arrascaeta jogou a bola para dentro da área, ela fez uma parábola, quicou na pequena área, onde Marcelo Lomba saiu para dividir com Éverton Ribeiro, que sequer tocou na bola, mas que atrapalhou o goleiro do Inter: 1 a 1. 


Depois do gol de empate, Odair Hellmann sacou ao mesmo tempo D'Alessandro e Patrick, mandando a campo Sarrafiore e Parede. Logo no primeiro lance de ataque, Nico acertou a trave do Flamengo.


Abel Braga então mandou Diego a campo. O camisa 10 entrou no lugar de Arrascaeta. Aos 31 minutos, Sarrafiore, que recém havia perdido uma chance de gol na frente de César, se redimiu. Recebeu de Nico, avançou sobre os zagueiros e, na entrada da área, bateu seco, no canto esquerdo do gol carioca, colocando o Inter de volta no comando do placar: 2 a 1. 


O destino uma vez mais avisou ao Inter: recuar não leva a nada. Uma lição que talvez tenha sido aprendida no Beira-Rio e, desta vez, houve tempo de retomar as rédeas do jogo e vencer. Após a péssima estreia em Chapecó, com os reservas, o Inter ganhou a sua primeira partida no Brasileirão, com os titulares.

Fonte: Gaúcha ZH

Mais notícias desta categoria

Publicidades


Mario Junior designer