Publicidades

31/01/2019 | 16:02 | Saúde | Três de Maio

Três de Maio em alerta máximo para evitar epidemia de dengue


O número de casos prováveis de dengue voltou a crescer no país em 2018, após dois anos em queda, apontam dados divulgados pelo Ministério da Saúde nesta segunda-feira (28). Balanço feito pela equipe técnica da pasta mostra que, em todo o ano passado, foram registrados 266 mil casos prováveis da doença. Já em 2017, foram 239 mil notificações, o que equivale a um aumento de 11%.


O levantamento considera os casos confirmados em exames e outros de pacientes que, em diagnóstico clínico, apresentaram sintomas e quadro correspondente à dengue em regiões onde já havia outros casos – daí serem considerados prováveis.


Ainda que pequeno, o aumento interrompe uma sequência de queda no número de casos da doença no país, situação que vinha sendo registrada nos balanços anuais desde 2016.


Até então, essa redução era atribuída ao reforço nas ações de controle do mosquito transmissor, o Aedes aegypti, desde a entrada do vírus da zika. Outro fator, segundo especialistas, era o próprio ciclo epidemiológico da dengue. Isso porque, após períodos de forte epidemia, há uma redução no número de pessoas suscetíveis a cada subtipo de vírus em circulação.


Agora, o aumento volta a trazer alerta para o risco de novos casos da doença neste ano, sobretudo no verão, período em que aumenta a infestação do mosquito transmissor.


Em 2018, o aumento foi puxado por 12 estados, a maioria nas regiões Sudeste e Centro-Oeste. Lideram essa lista Goiás, com 86 mil casos, seguido de Minas Gerais, Rio Grande do Norte e São Paulo.


Três de Maio está em situação de alerta para epidemia de dengue em razão do grande número de focos de larvas. Caso alguém venha de fora com a doença, pode haver o contágio de mais pessoas, pois a cidade está infestada pelo mosquito transmissor.


A Secretaria Municipal da Saúde vai realizar mutirão de limpeza nos bairros Pró-Morar e Guaíra no próximo sábado (2) das 7h30 às 11h30. Na oportunidade, a Secretaria Municipal de Obras vai auxiliar na remoção de entulhos que podem servir de criadouro para o mosquito.


O Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs) confirmou nea quinta-feira (24) um caso de dengue no município de Panambi. É o primeiro caso autóctone confirmado em 2019, que é quando a doença é contraída dentro do Estado. O Rio Grande do Sul não havia tido nenhum caso autóctone ao longo de todo o ano de 2018.


Além desse, outros três casos de dengue também foram confirmados em São Luiz Gonzaga e Sete de Setembro (com dois casos). Mas estes pacientes contraíram a doença em viagens a outras regiões do país.


O verão é a época do ano mais propícia para a circulação do mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya, o Aedes aegypti, em virtude do aumento da temperatura e chuvas. Para o reforço nas ações de controle ao vetor, a secretária estadual da Saúde, Arita Bergmann, anunciou nesta semana o repasse de R$ 2,4 milhões para 232 municípios gaúchos com risco maior de infestação.

Fonte: Rádio Colonial

Mais notícias desta categoria

Publicidades


Mario Junior designer