Publicidades

03/11/2018 | 09:17 | Praia Notícias | Polícia

Estudantes da UFSC denunciam ação violenta da PM em Florianópolis

Ação teria acontecido após o término do "Geosamba", encontro promovido dentro da universidade, no momento em que as pessoas começavam a deixar o local

Polícia Militar chega à universidade no momento em que algumas pessoas estavam saindo do evento - Divulgação / Hora de Santa Catarina


Uma roda de samba que animava estudantes da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) na noite de quinta-feira (1º), em Florianópolis (SC), acabou de maneira violenta depois que a Polícia Militar (PM) entrou no campus, nas proximidades do Centro de Filosofia e Humanas (CFH), no começo da madrugada de sexta-feira (2).


A ação teria acontecido após o término do "Geosamba", encontro promovido dentro da universidade, no momento em que as pessoas começavam a deixar o local. De acordo com denúncias de estudantes, ao menos três viaturas entraram no campus em alta velocidade e partiram em direção aos presentes, que precisaram correr para não serem atropelados.


Os policiais teriam descido das viaturas e começado a disparar tiros de bala de borracha e a borrifar spray de pimenta, exigindo que todos fossem embora do local. Ainda houve relatos de que os policiais gritaram "toma petralhada" e "aqui é Bolsonaro".  Ao menos um estudante teria sido ferido por balas de borracha e golpes de cassetete.


Todos os relatos feitos à reportagem foram mantidos em anonimato por pedido dos envolvidos, que temem retaliações.


— Eu estava indo jogar o lixo fora quando eles (PM) começaram a acelerar na nossa direção. Foram até a guarita que fica perto do (Colégio de) Aplicação, deram um cavalinho de pau, atiraram umas balas de borracha e voltaram aterrorizando a galera. Grudei num grupo que estava saindo e fomos embora — relatou um dos organizadores do encontro.


O que dizem a UFSC e a PM


A reportagem entrou em contato com o reitor da UFSC, Ubaldo Cesar Balthazar, na tarde desta sexta-feira. Na ocasião, o reitor afirmou não ter conhecimento do caso e que não havia sido informado pela Secretaria de Segurança do campus. Duas horas depois, a Administração Central da UFSC emitiu a seguinte nota:


"A Administração Central da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) foi informada de que houve tumulto na madrugada desta sexta-feira, 2 de novembro, logo após o fechamento dos bares no entorno da Universidade.


Esse tipo de situação tem ocorrido e levou, inclusive, a uma ação conjunta das polícias Militar e Civil, MPE e UFSC, a fim de buscar soluções entre todos os setores envolvidos.


Em situações em que haja ameaça à integridade física e ao patrimônio, as forças de segurança agem nos limites de suas atribuições. Todos os fatos serão devidamente apurados".


A reportagem também tentou contato com o comando do 4º Batalhão de Polícia Militar (BPM), responsável pelo patrulhamento na região. O tenente-coronel Fernando André, comandante do batalhão, não atendeu às ligações, nem retornou o contato por Whatsapp até o momento da publicação. 


Em ligação telefônica à 1ª Companhia da PM, responsável pelo 4º BPM, a reportagem foi informada de que o agente responsável pela ronda da noite de quinta-feira era a única pessoa que poderia falar sobre o episódio, mas que ele estava de folga e só voltaria a trabalhar no domingo. 

Fonte: Gaúcha ZH

Mais notícias desta categoria

Publicidades


Mario Junior designer