Publicidades

20/01/2016 | 06:14 | Praia Notícias | Saúde

Em novo boletim, Dive confirma 3 casos de dengue e 4 de zika em SC

Em relação à dengue, um caso é importado e outros estão em investigação


Em boletim divulgado na noite desta terça-feira (19) sobre as doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti, a Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive) confirmou três novos casos de dengue e quatro de zika vírus em Santa Catarina desde o começo do ano.


Todos os pacientes com zika vírus contraíram a doença fora do estado, mesma situação de uma das três pessoas com dengue. Os outros dois casos são analisados para descobrir a origem. Não foi registrado nenhum paciente com febre chikungunya.


Atualmente existem 28 municípios considerados infestados pelo mosquito: Anchieta, Balneário Camboriú, Chapecó, Cordilheira Alta, Coronel Freitas, Coronel Martins, Cunha Porã, Florianópolis, Guaraciaba, Guarujá do Sul, Itajaí, Itapema, Joinville, Maravilha, Nova Itaberaba, Novo Horizonte, Palmitos, Passo de Torres, Pinhalzinho, Planalto Alegre, Princesa, São Bernardino, São Lourenço do Oeste, São Miguel do Oeste, Serra Alta, União do Oeste, Xanxerê e Xaxim. A definição de infestação é realizada de acordo com a disseminação e manutenção dos focos.


Dengue


Outros 292 casos suspeitos de dengue seguem em investigação. Em 2015, foram confirmados 3.613 pacientes com dengue. Desses, 3.276 foram contraídos em Santa Catarina, 272 fora do estado e 65 estão em investigação.


Em 2015, nas duas primeiras semanas, haviam sido confirmados 18 casos de dengue contraídos em Santa Catarina.


Em relação aos focos do Aedes aegypti, em Santa Catarina, de 3 a 16 de janeiro de 2016, foram identificados 475 focos, em 55 municípios. Nesse mesmo período em 2015, tinham sido identificados 350 focos em 35 municípios.


Zika vírus


De 1 a 19 de janeiro de 2016, foram notificados 17 casos suspeitos de zika vírus em Santa Catarina. Desses, quatro foram confirmados, dois descartados e 11 permanecem em investigação.


Os casos confirmados foram identificados em Braço do Norte, Sul do estado, Florianópolis e Ipuaçu, no Oeste, sendo dois casos nessa última cidade. Os prováveis locais de infecção foram os estados do Mato Grosso, Rio de Janeiro e Sergipe.


A Dive informou ainda que não havia recebido oficialmente até as 19h desta terça o caso de zika registrado em Itapoá, no Norte catarinense. A paciente é uma turista do Mato Grosso que contraiu a doença no estado de origem, conforme o Pronto Atendimento do município.


Em 2015, foram notificados foram confirmados nove casos de zika vírus em Santa Catarina, em Itapema e Bombinhas, no Litoral Norte, Laguna, no Sul, Florianópolis, e Gaspar e Pomerode, no Vale do Itajaí. Todos foram contraídos foram do estado. Outros 23 casos permanecem em investigação.


Chikungunya


De 1 a 19 de janeiro de 2016, foram notificados cinco casos suspeitos de febre de chikungunya em Santa Catarina, todos estão em investigação.


Em 2015, foram confirmados três casos. Desses, um foi contraído dentro do estado e dois fora.


Salas de situação


Dos 28 municípios considerados pela Dive como infestados pelo mosquito, 27 cumpriram a meta de criar uma sala de situação na cidade. Somente Coronel Freitas, no Oeste, não fez a instalação. Por isso, o Ministério Público de Santa Catarina entrou com uma ação contra esse município.


Os municípios de Cordilheira Alta, Novo Horizonte, Palmitos, Pinhalzinho, Princesa e São Lourenço do Oeste ainda não informaram os representantes de instituição que vão compor as salas, segundo a Dive.


Informações sobre as visitas aos imóveis são repassadas diariamente para a sala estadual. Dos 385.434 imóveis em área infestada, que devem receber visita até o dia 12 de fevereiro, segundo as orientações passadas da sala estadual para as municipais, já foram informadas visitas em 37.070 imóveis, o que representa 9,6% do total. Os imóveis fechados ou que a visita foi recusada totalizam 19.211.

Fonte: G1

Mais notícias desta categoria

Publicidades


Mario Junior designer